Notívagos Plantões 

por Walter Costa

Corizas viris
permeiam
mórbidos corredores
na solidão
pública
do sofrimento.
Espirros intermitentes
assombram
taquicárdicos anseios
nas midríases paralíticas
de irregulares traçados
de dor.
Leitos insípidos
adormecem
conquistas e sonhos
na convulsão
frenética
de sondas
e punções,
pautando
linhas
na fronteira tênue
da luz
e
escuridão.
Coloridos brancos
subterfugiam
criteriosamente
choros
e regozijos
na busca
impermeável
de escotomas
únicos
de alívios
e prazeres.
Perniciosas abstrações
de livros
e protocolos
assombram
paulatinamente
exclusivas artérias
na humanidade
ímpar
de lágrimas
e risos,
perjurando
imensuráveis
desígnios
de respiradores
e marca-passos.
Sob conjuntivais
desafios
da improbabilidade,
tatos
e olfatos
desfibrilam
medos
e vazios
sob
auditivas visões
de reduzidos danos,
perpetuando
planos
e
caminhos
na trilha atrial
e ventricular
do cuidado.