A TAL DA VITAMINA

por Rosiane Pinho

Luta Saúde: Saúde é um direito, não é um negócio! – Página 13

    Chamo a primeira paciente da semana: dona Maria, com seus 70 e muitos anos, que vem à Unidade de Saúde acompanhada da filha para checar exames. Na consulta anterior, dona Maria havia se queixado de alguns episódios de confusão mental, e um dos exames solicitados na investigação foi a dosagem de vitamina B12 – uma vitamina que, se deficiente, pode ocasionar alguns sintomas compatíveis com o que ela apresentava. E, no caso dela, essa vitamina realmente estava com níveis muito baixos!

– Dona Maria, pode ser que tenhamos descoberto a causa dessa sua confusão! De todos os exames, o único que veio alterado foi a dosagem de uma vitamina que pode causar isso quando está em falta no nosso corpo…

– Ufa! Que bom, dra. Menos mal ser só essa tal de vitamina então, se todo o resto tiver funcionando (risos)! Isso é fácil de tratar, né?!

– É, sim! O tratamento é bem simples, já eu te explico certinho. O único problema é que não temos de graça no posto… Vocês teriam condições de comprar? (sempre me dói fazer essa pergunta)
    

Nesse momento mãe e filha entreolharam-se, num instante que pareceu uma eternidade. Um misto de preocupação e aflição na feição de ambas, até que a filha suspirou e tomou coragem: 

– Ah, doutora. Pode passar sim, damos um jeito! A gente tira da mistura do almoço ou do jantar em algum dia pra comprar o remédio da mãe…
  

  Foi minha vez de fazer um segundo parecer uma eternidade, com um turbilhão de pensamentos na minha mente, tentando sentir o peso que essa escolha carrega em si: comer ou se tratar? (e, afinal, alimentar-se também não faz parte dos requisitos mínimos de uma vida saudável?). Engoli em seco, imaginando outros pacientes que diariamente devem fazer essa escolha em silêncio – ou que escolhem pela alimentação como remédio, sendo muitas vezes julgados por não terem realizado o tratamento proposto.
No final das contas, prescrevi a “tal da vitamina”, e ao vê-las no dia seguinte aplicando a medicação no posto me peguei pensando no que elas teriam deixado de comer naquele dia para que isso fosse possível…                   

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s