Paliar

por Fátima Azevedo

Segunda consulta do Sr Apolo. Primeiro caso de cuidados paliativos sob minha responsabilidade. Pergunto como ele está; nada melhorou, na verdade teve piora. Além do emagrecimento e fraqueza nas pernas, a perda de sensibilidade aumentou e tinha uma queixa de constipação associada. No exame físico, pedi para as acompanhantes se retiraram da sala. Fiquei só eu e ele. Foi o momento que perguntei sobre a relação dele com a esposa, aquela senhora que passou a consulta distante e afastada, estranhamente indiferente. Minha surpresa foi terem um bom casamento. O que será que tinha acontecido com ela, então? Descobri. A sogra do Sr Apolo tinha falecido há um mês. Uma evolução rápida e parecida com a dele. Fui discutir com a preceptora. Era grave, uma emergência em cuidados paliativos, síndrome de compressão medular. Encaminho ao pronto socorro.

No pronto socorro, mais um pedacinho da história surge. Os rumos da vida. Sua filha, quando foi doar a cadeira de rodas da sua avó, não conseguiu. A igreja estava fechada e agora quem estava usando ela era o Sr Apolo.

Ele ficou lá. Não sabia se deixava meu contato com a família ou não. E se me ligassem e não soubesse o que dizer? Queria ter notícias, mas algo impedia. Sorte a minha, ter uma preceptora para dar um empurrãozinho na coragem. Ficaram com meu contato.

Sr Apolo teve alta e voltou para casa. Conseguiu fazer os exames, prognóstico muito obscuro; lesão extensa na medula, fizeram biópsia. Agora ele está mais confortável, recebendo carinho da família e seu cãozinho Júpiter, em casa.

Mas pouco tempo passou e as escaras infectaram. Hipotensão. SAMU. Hospital. Internação. Será que vão entubar? Não tem indicação. Será que conversaram com a família? Medidas proporcionais. Como será que ele está? Iniciaram antibioticoterapia, estável.

Ligação da filha, muito preocupada. Iniciaram bomba de morfina para seu pai. Sua avó faleceu um dia depois de colocarem bomba de morfina. Explico sobre conforto, aliviar a dor. Caso tenha indicação de alta, irão retornar a via oral. Muita esperança? Uma semana depois, sedação paliativa.

Sr Apolo morreu. Enterro. Missa de sétimo dia. Meus sinceros sentimentos. Luto.

Primeira consulta da Dona Concórdia. Minha primeira consulta de luto. Como será? O que vou dizer? O que ela vai dizer? Será que está elaborando a morte? Duas mortes importantes tão próximas. Tantas dúvidas antecipadas. Um abraço, tantas emoções despertadas. Como você está? Como foi? Não está sendo fácil, estou tentando. Doutora, ele sabia o que estava acontecendo? Sim, sabia. Muito agradecida por tudo.

Tão pouco oferecido, tantas dúvidas e incertezas na trajetória. Mas o quanto é essencial estar disponível, escutar e acolher. Tanto aprendizado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s