Desejo de um papel…

Resultado de imagem para peso de papel
Hoje vou contar sobre dona Hermelinda, uma mulher de 62 anos, maranhense do interior, firme na voz e nos passos. Já veio para Ribeirão Preto e voltou para sua terra natal diversas vezes, não consegue ficar muito tempo longe de sua “terrinha”, devido a isso, sua diabetes e pressão nunca tiveram um controle e um cuidado ao longo do tempo, porque todo médico muda sua receita. Voltou para cá dessa vez porque tinha um machucadinho no nariz que não sarava e também porque para conseguir consulta lá é muito difícil, precisa pegar um ônibus para João Pessoa toda vez que tinha algo mais complicado, dizia ela.
Infelizmente a lesão era certeira, um câncer de pele que devia estar crescendo já a um tempinho…
Converso com ela sobre o machucadinho, sobre a necessidade de ir para uma biópsia e provável cirurgia, e isso poderia demorar alguns meses até que tudo se completasse..
Sua resposta, com voz firme, mas olhos marejados, trêmulos..
 – Doutor, eu odeio viver aqui, eu sou feliz lá na minha terra, na minha cidade, onde tenho minha casa, tenho meu trabalho, eu trabalho como catadora lá sabe, consigo andar pelas ruas, conheço cada cantinho da cidade, aqui não consigo sair de casa com medo de me perder.
Mas se o senhor  falar que eu tenho que ficar aqui para operar o nariz, porque eu sei que vai ser muito difícil por lá, eu fico. Crio raízes aqui, fico firme aqui. Me tranco em casa, porque confio em você, conto nos médicos daqui.
Mas se o senhor falar pra eu ir que eu não vou morrer disso, eu vou hoje mesmo para não mais voltar.. Porque aqui não é o meu lugar.
Tudo que eu lhe peço é um papel escrito o que eu tenho, que eu não vou morrer e que eu posso ir embora…
Eu deixo isso nas suas mãos doutor, o que você decidir eu faço…
Minha cabeça deu um nó, um daqueles bem apertados. Qual o meu poder, quem sou eu, o que sou eu para definir sobre a vida de outro? Para definir entre a felicidade e a biologia? Para falar olha fique que vamos cuidar desse câncer e de todo o resto (menos de sua felicidade…) ou vá e seja feliz, volte a viver o que sempre viveu…
Prefiro não fazer essa escolha.. vamos conversar com seus filhos e decidimos todos juntos, pode ser?
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s