A essência da vida num dia de atendimento de um médico de família

(imagem: sala de espera de uma UBS)

por Thiago Trindade

​É comum, nós médicos, ouvirmos dos pacientes palavras e gestos de agradecimento pelo cuidado ofertado, mas não sabem eles o quanto somos gratos pelo aprendizado que eles nos proporcionam no dia-a-dia.

A medicina de família é uma prática instigante. Iniciamos o dia sem saber o que encontraremos pela frente, que relatos e histórias ouviremos, mesmo que os paciente sejam os mesmos, seus problemas e suas histórias vão mudando a cada encontro, a cada momento de suas vidas. Para mim é uma das coisas mais estimulantes que a medicina de família oferece. Monotonia zero. Emoções 100%.

Hoje, por exemplo, foi um típico dia de atendimento com estes ensinamentos da essência da vida, das transições de cada fase do ciclo vital, com suas alegrias e tristezas, conquistas e derrotas, perdas, encontros e reencontros. Daqueles dias que nos ajudam a refletir melhor sobre nossas próprias vidas. Que nos mostra o quanto a vida é cheia de surpresas, e o que nos faz aproveitá-la é a forma como a apreciamos em seus detalhes essenciais numa perspectiva contínua e resiliente.

Os sentimentos vão aparecendo nas narrativas com suas diferentes facetas nos atendimentos:

a emoção de uma senhora de 70 anos em dizer que a filha a perdoou depois de 20 anos; 

a felicidade de um pai em ver sua filha se formando na faculdade;

a alegria de uma mãe preparando a casa para receber seu filho de volta, que estava há um ano trabalhando fora, mesmo que com isso tenha desenvolvido uma lombalgia aguda;

a ambiguidade presente no relato de um senhor de meia idade sobre sua decisão de se aposentar e planejar um novo rumo na vida pessoal e profissional; 

a preocupação e angústia cotidiana de uma senhora de 60 anos com sua mãe de 85 anos, que mora só em outra cidade, longe dela e dos outros filhos, levando a sofrer com dores abdominais e diarreia pela tensão e ansiedade; 

a tristeza de um homem de 55 anos que vem há 4 meses sofrendo com a separação de sua ex-namorada, tentando se reconciliar e lutando contra o alcoolismo; 

a satisfação de um filha em ver sua mãe idosa de 94 anos se recuperando de um imobilismo pós queda no domicílio, há 6 meses, e que agora já caminha sozinha pela casa com o andador; 

o entusiasmo de um casal de meia idade que tem olhado mais um ao outro, se apoiando, e amenizado conflitos crônicos, com melhora de sintomas habituais como cefaleia e insônia;  

a euforia de um jovem que reingressou no segundo curso de graduação após muita reflexão e que ao mesmo tempo sofre após descobrir que um velho amigo faleceu subitamente.

Encerro o dia de atendimentos de forma tocante e emocionado ao ver o brilho nos olhos no relato de uma jovem que acompanho desde seu tempo de colégio, e hoje após uma longa caminhada cheia de adversidades concluía a faculdade. E ainda tendo se reconciliado com o namorado, quando há um mês estava pensando em desistir de tudo…

São tantas histórias compartilhadas, passagens por ciclos de vida diferentes, desafios que se iniciam a cada etapa, elaborações de perdas, frustrações, alegrias, enfim a essência do caminhar nesta vida.

Coisas que a medicina de família, através dos nossos pacientes, nos presenteia em intensidade máxima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s