Era o leite

leite

por Lucas Gaspar Ribeiro

Primeiro mês na unidade, conhecendo os pacientes, suas histórias, suas vidas e famílias.

De repente entra uma senhora de 68 anos, barriguuuuda, a dona Josefina. “Doutor, tenho um problema que nenhum médico conseguiu resolver ainda. Eu tenho essa barriga grande aqui ó (batendo em seu voluptuoso abdome), sempre desse tamanho, sempre me atrapalhado. Eu tenho uma sensação de que está sempre cheia, lotada. Quase não como nada, mas mesmo assim!! E os gases doutor, e os gases??? Não param nunca… Já está me passaram esses dois, mas não melhoram (olho as caixas, eram omeprazol e domperidona).

Logo começo a juntar os pontos: empachamento + gases + idosa – será Câncer(penso em estômago, cólon – meu deus e agora como conseguir acesso a exames de imagem???).

Pergunto sobre perda de peso – não, não doutor, não consigo perder peso, mesmo comendo menos.

Ufa, provavelmente um alarme falso.

Será que é algo alimentar? Vamos ao recordatório alimentar. Tem algo que a senhora come e percebe piora, melhora, mudança?

– Ahh doutor, eu como de tudo, arroz, feijão, carne, legumes, leite com café de manhã e a noite.

Opa, leite 2 vezes por dia, será que estamos por aí?? – Dona Josefina, me conte mais sobre esse leite…

– Doutor, sempre tomei leite, minha vida toda, gosto muito sabe. Eu tomo leite todos os dias, eu acho que piora, porque quando acaba lá em casa e eu não como, não fico com tantos gases, mas não sei, faz tantos anos que tomo leite….(abriu uma portinha na cabeça).

– Então Dona Josefina, vamos tentar fazer uma coisa, vamos tentar ficar sem tomar leite por um tempo e depois a ente vê como você ficou, o que acha??

– Tudo bem doutor, não custa tentar.

Quase 2 meses após entra a dona Josefina, e, coincidentemente eu estava na porta indo chamar outro paciente.

Vejo um brilho nos olhos que antes não havia – e ela logo ao me ver já fala alto: doutor Lucas, hoje sou outra mulher. Estou nova, batendo na mesma barriga de antes(mas para mim exatamente igual de um mês atrás). Acabou minha barriga, olha só, não tem mais nada, sequinha. Estou muito melhor agora. Somente um médico que quer ouvir e pensar na gente, que busca o que ele tem pra me ajudar!!

Eu olho para aquele rosto sem mais sofrimento, olho para aquele corpo exatamente igual, e respondo: Josefina, fico muito feliz que esteja se sentindo melhor, que bom que te ajudei um pouquinho, dá para ver que está mais magra mesmo..(afinal o nosso papel é também fazer o outro se sentir bem consigo mesmo..)

E ela sai da unidade de volta para casa alegremente e falando: era só o leite, doutô, só o leite…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s